/// Terceiro setor

Doação por empatia: como e quando ela acontece?

Se você investir em ações de arrecadação focadas na doação por empatia, as chances de suas ideias florescerem e gerarem frutos serão maiores.

Data de Publicação: 08/06/2020

Você, que atua no terceiro setor, sabe que a busca por recursos é importante para promover novos projetos. Aliás, esse é um grande desafio na área. Para conseguir mais dinheiro em prol da sua causa, que tal recorrer à doação por empatia?
Essa estratégia chama a atenção de apoiadores, que ficam mais envolvidos com o seu projeto. Assim, você capta os recursos de que precisa mais rapidamente e tem mais facilidade para arrecadar o que você precisará no futuro. Gostou? Saiba mais sobre a doação por empatia e como garantir a sua!

O que é doação por empatia?

É aquela movida por sentimentos, o que vai além da simpatia com a sua causa. Na doação por empatia, há uma conexão mais profunda do doador. Ele, de fato, é capaz de se colocar no lugar do outro e sentir a sua dor. Assim, age rapidamente motivado pela mudança.
Em outras palavras, quem doa por empatia se posiciona no lugar do outro e compreende a sua realidade interna. Há um desejo de apoio que supera preconceitos e julgamentos pessoais. Quem doa, nesse caso, compreende a posição do outro como se fosse a sua.
Quando alguém demonstra simpatia por sua causa, há compaixão pelo projeto e o desejo de vê-lo dar certo. Ou seja, há uma afinidade com uma causa e um sentimento de harmonia por ela.
Mas, diferente do sentimento de empatia, a simpatia não nos conecta com aquilo que está completamente fora da nossa realidade. Já na doação por empatia, resolver o problema o quanto antes é muito importante para o doador. Notou a diferença?

Como garantir que as pessoas doem para os seus projetos?

Nós sabemos que arrecadar recursos por meio de doações pode ser um processo longo e, muitas vezes, desafiador. É aí que entra a importância de um bom planejamento para atrair apoiadores e garantir o engajamento em suas ideias.
Se você deseja que sua mensagem chegue ao doador, o primeiro passo é conhecê-lo bem, concorda? Só depois disso as ações devem ser pensadas e executadas. Veja, abaixo, algumas dicas do que pode ser feito:

  • contação de histórias — um bom storytelling traduz mensagens com maior envolvimento emocional e torna sua ideia e seus objetivos mais simples e impactantes;
  • linguagem focada nos sentimentos corretos — palavras são poderosas e, se você utilizá-las em seu favor, pode envolver muito mais os seus apoiadores;
  • objetivos de forma clara — sua mensagem precisa garantir que o doador entenda quem será beneficiado. Por isso, deixe claro por que o apoio dele importa;
  • atenção para o micro — às vezes, apresentar um grande problema com foco em uma única pessoa vulnerável pode gerar uma identificação mais rápida com a sua causa. Já parou para pensar nisso?;
  • doador inserido no projeto — a mensagem pode ser moldada para mostrar que seu projeto atende a problemas comuns, os quais afetam toda a sociedade.

Estamos cientes de que todo projeto social envolve um grande número de pessoas, parceiros e empresas. Logo, ele precisa reunir os recursos necessários para dar certo. Ter apoiadores engajados é uma das formas de mantê-lo de pé — daí a importância da doação por empatia.
Se você investir em ações de arrecadação focadas na doação por empatia, as chances de suas ideias florescerem e gerarem frutos serão maiores. Afinal de contas, poderá contar sempre com apoiadores que sentem um profundo desejo de vê-las prosperarem, e não apenas de pessoas simpáticas à sua causa.
E então, como você atrai doadores para os seus projetos? Compartilhe com a gente em nossas redes!

Envelope fechado

Assine nossa Newsletter

Receba nossos conteúdos